Central Empreendedor

Empreendedorismo

Archives março 2021

Marketing B2B: em quais mídias eu devo anunciar?

O marketing é um fator fundamental para qualquer negócio, ele é o responsável pela imagem da sua empresa e o alcance dela. Diferentemente do marketing voltado para o consumidor final/pessoa física, ou em inglês Marketing B2C (Business to Consumer), o marketing B2B (Business to Business) é direcionado para atingir outras empresas e, por ter um público-alvo diferente, também deve ter estratégias diferentes. Pensando nisso, é preciso saber em quais mídias anunciar sua marca para alcançar o objetivo desse marketing e captar clientes. Nesse artigo mostraremos quais mídias são fundamentais nesse processo.

Marketing B2B

Esse modelo de marketing consiste na formulação de imagem para venda de um produto ou serviço de uma empresa para outra. Existe a diferença de nomenclaturas (B2B e B2C) pois vender para uma pessoa física e vender para uma pessoa jurídica não são a mesma coisa. Enquanto no marketing B2C o objetivo é atender o consumidor final (que por sua vez pode ser representado por milhares ou até bilhares de pessoas), no marketing B2B o público alvo em geral é consideravelmente menor e com características mais definidas. Além disso, existe um processo comum de fidelidade entre empresas, o que não ocorre de maneira tão acentuada com a empresa e o consumidor final. Essa característica deve ser levada em consideração e ser bem planejada no momento de divulgar a sua marca, produtos e/ou serviços para outra instituição.

Pensando nisso, o marketing B2B tem como demanda analisar e evidenciar de que forma uma empresa pode ser útil e eficaz para outras empresas, de maneira que agilize seus processos internos, sua produção e geração de renda. Trata-se de um modelo empresarial mais pragmático e direcionado, diferente da imagem passada para o cliente final, que muitas vezes, está consumindo determinado produto sem a necessidade de tê-lo. O cliente jurídico visa seu próprio benefício com muito mais criticidade, o que torna o trabalho do marketing ainda mais desafiador. Se feito de forma correta, ele pode ser o diferencial para sair na frente da concorrência.

Além de ter menos clientes e clientes mais criteriosos, o que evidencia a importância de gerar leads, a empresa que aplica o marketing B2B precisa estar focada em todo o processo de venda, desde a captação do cliente até a entrega do produto ou serviço e, principalmente, seu feedback. O mundo corporativo, assim como o cotidiano, vem se transformando muito rápido e é necessário estar atento às mudanças que ocorrem e às demandas do público.

Quais mídias sociais são fundamentais para o marketing business to business?

Com o advento da internet, o acesso a essas modificações fica ainda mais fácil. Por isso, é necessário utilizar a rede de navegadores e redes sociais ao seu favor. Abaixo você verá opções de mídias onde você deve anunciar sua marca. É importante ter em mente qual o seu público-alvo e qual imagem você gostaria de passar com sua marca, pois, mesmo que as redes sociais contem com bastante divulgação, é preciso escolher corretamente a forma como abordar um cliente para que ele não passe direto pela sua propaganda ou, ainda, tome uma primeira impressão errada da sua empresa.

Blogs e sites

Ter um domínio eletrônico para sua marca é fundamental para o marketing B2B. Com blogs ou sites é possível abusar de textos, gráficos e arquivos multimídia que podem conferir modernização à sua empresa e passar a imagem exatamente da maneira que você deseja passar. Vale a pena investir em um bom redator e editor de site, além de um ótimo designer para que seu domínio fique super atrativo. Mais do que informativo e divulgador, essas duas opções de plataforma podem ser super úteis: é possível integrar o sistema do site com o da sua empresa e fechar vendas de modo totalmente virtual. Nesse quesito, o Google pode ser um forte aliado. Seu cliente pode tentar sanar uma demanda buscando na internet e de repente encontrar o seu blog. Dica: caso você deseje aparecer nas primeiras opções de busca para palavras-chave, pague para impulsionar o anúncio do seu domínio.

Redes sociais

Atualmente, o Brasil é o segundo país onde as pessoas passam mais tempo em redes sociais. Esse dado, apesar de alarmante, sugere que o seu cliente provavelmente fique online em algum momento do dia em alguma das plataformas mais usadas no país, como o Facebook, Instagram, Twitter e Whatsapp. Essa informação é bastante útil para o marketing B2B, pois com os algoritmos e anúncios relacionados às pesquisas do usuário, se seu cliente buscar, clicar ou mesmo curtir algo que se aproxime da proposta da sua marca, é bem provável que ele chegue até sua empresa se você tiver anúncios ativos nessa ou naquela rede social.

Canal no Youtube e Webinars

Não é preciso ser muito antenado para saber o alcance que o Youtube tem e tampouco a quantidade de pessoas que fizeram sucesso com vídeos nessa plataforma. Com um canal no Youtube, você consegue ilustrar sua marca como quiser, além de ter mais tempo para apresentar tudo de forma dinâmica. Vale ressaltar que com um vídeo é possível evidenciar características da sua marca de duas maneiras sensoriais: visual e auditivamente, o que confere uma compreensão maior por parte de quem ouve.

Por meio de um canal no Youtube, é possível também promover Webinars. Um Webinar é uma webconferência que provê conteúdo e interação. Esse mecanismo vem sendo bastante explorado e acarreta resultados muito positivos, sendo uma ótima estratégia para o marketing B2B.

E-mails marketing

O endereço eletrônico é muito utilizado por profissionais e empresas e por isso, pode ser um forte aliado na hora de vender sua marca. É possível personalizar e-mails e garantir um caráter mais real e próximo do seu cliente via e-mail marketing. Evite spams e usufrua desse mecanismo mesmo após atingir seu objetivo. Você pode fornecer, por exemplo, um formulário de feedback para seu cliente ou até mesmo aplicar o método de Inbound Marketing.

Essas são algumas opções de mídias em que você pode anunciar o seu negócio. Sabe-se que nada se compara ao contato humano e o olho no olho, então invista no contato eletrônico, mas não deixe de estar sempre atento ao seu cliente, marcando reuniões e se colocando à disposição, lembre-se do fator fidelidade e supere as expectativas do seu público!

Se esse artigo foi útil para você, não deixe de conferir os próximos textos!

Marketing para Advogados – como estar dentro da lei

O mercado de advocacia está cada vez mais concorrido e, em razão dessa concorrência, surge, aos poucos, uma nova necessidade de se trabalhar com marketing para advogados e escritórios, havendo até mesmo um novo termo para isso: o marketing jurídico, que busca meios de conciliar a implantação de um marketing dentro das limitações impostas pelo Código de Ética.

Este é um assunto deve ser bem analisado, uma vez que, para os advogados, é importante colocar sua imagem na mídia, mostrar sua capacidade e eficiência, conseguir novos clientes e defendê-los naquilo que precisam, mas isso deve ser feito dentro das regras, seguindo o que é determinado pela OAB.

Para o Advogado, participar da mídia é uma situação muito diferente daquela participação de outros profissionais liberais, afinal, o Advogado tem como respaldo uma legislação e depende de sua atuação para mostrar sua capacidade, ficando muito limitado com relação à divulgação de seus serviços.

Contudo, dentro de todas as limitações impostas, é bastante possível usar praticamente todas as ferramentas do marketing, principalmente nos meios eletrônicos, dentro dos padrões exigidos pelo Código de Ética, fazendo adaptações, criando meios de chegar ao cliente, de forma indireta, ao mesmo tempo em que se faz um marketing jurídico de qualidade.

O que é o marketing digital

O marketing digital é um conjunto de estratégias que serve para divulgar uma marca. É diferente do marketing tradicional, porque o digital faz uso de diferentes canais on-line e de métodos que permitem sua mensuração em tempo real.

Trata-se de é uma estratégia fundamental para a divulgação de qualquer tipo de produto ou serviço atualmente.

A internet se tornou o principal veículo de comunicação entre empresas e consumidores, além de oferecer novas possibilidades com o marketing digital. O consumidor moderno pesquisa sobre todas as coisas na internet, indo desde uma simples curiosidade até a necessidade por um serviço ou uma informação sobre alguma empresa.

Profissionais, como os advogados, que são proibidos pela OAB de usarem o marketing e publicidade, encontram no marketing digital uma possibilidade de serem vistos e reconhecidos por seu público-alvo, assim como empresas de locação de impressora colorida.

Essa técnica tem diversas vertentes, por isso algumas estratégias podem ser obtidas, como o marketing de conteúdo, o WhatsApp business e o e-mail marketing, que são muito usadas por advogados e escritórios de advocacia pelo país.

Isso acontece, pelo fato de que tais estratégias do marketing digital oferecem ao público-alvo desses profissionais dados necessários e importantes sobre assuntos que são do interesse dele.

Possibilitam também uma comunicação mais fácil e direta entre consumidor e profissional, além de permitir o relacionamento mais durável, que sempre gera bons frutos para ambos.

O que é marketing jurídico?

Ao falar sobre marketing digital, é impossível não pensar nas milhares de possibilidades que ele oferece, como no caso do marketing jurídico.

Essa possibilidade existe, porque o marketing digital não é uma estratégia usada apenas para vender ou convencer, mas sim como um conceito muito mais amplo.

O marketing digital está focado em cuidar de causas, relações de engajamento, estratégias de atuação e com o pós-venda, como no caso de uma empresa de reciclagem de papelão.

Sendo assim, quando um profissional faz uso correto do marketing jurídico, ele também está em busca da sua consolidação como profissional, obtendo diversos resultados.

Tais métricas estão relacionados ao objetivo do profissional, que pode se tornar autoridade em determinado assunto, marcar presença nas redes sociais para interagir mais com consumidores, atrair um público novo e diversos outros objetivos.

O principal foco do marketing jurídico é o interesse do bom direito, sempre dentro das normas de conduta da OAB.

Mas isso só é possível se o profissional ou escritório contar com uma equipe especializada neste tipo de marketing, fazendo uso de estratégias adequadas.

Como trabalhar o marketing em acordo com o Código de Ética?

O capítulo 4º do Código de Ética e Disciplina da OAB, que trata da propaganda para advogados e escritórios de advocacia, estabelece várias normas que precisam ser seguidas à risca.

Diante disso, como fazer um marketing jurídico assertivo sem ferir as regras da OAB?

Todas as ferramentas de marketing funcionam de forma integrada e elas podem ser utilizadas de forma útil, beneficiando o Advogado e trazendo maior número de clientes.

Para o Advogado, portanto, a melhor maneira de trabalhar é conhecendo o marketing, sabendo como ele pode ser usado e aplicado, aprendendo sobre o seu conceito e construindo meios de lidar com as ferramentas dentro do que é permitido.

O que é permitido pela OAB?

Primeiro de tudo: é um equívoco achar que a OAB, ainda que regulamente as regras de divulgação, proíba o marketing jurídico.

Na realidade, a Ordem encoraja este tipo de estratégia, desde que estejam dentro dos princípios éticos que permeiam a instituição, pois todas as normas não visam cercear o direito à divulgação, mas sim garantir a integridade e a imagem do profissional de direito e tudo o que representa.

Seguindo esta linha de raciocínio, as normas deixam de ser impositivas para fazerem todo o sentido, certo?

Veja como você pode trabalhar o planejamento estratégico do marketing jurídico sem a partir do respeito ao Código de Ética da OAB:

Você pode (e deve) ter um site na internet

Sim, a OAB permite que advogados e escritórios de advocacia estejam na internet através de sites profissionais e focados em divulgar o profissional e aquilo que ele é especialista.

Na verdade, como já informamos anteriormente, estar presente na internet é altamente recomendado dentro do marketing jurídico.

Está mais do que comprovado que hoje as pessoas buscam na internet um profissional quando necessitam de algum tipo de serviço. E isso não exclui o direito!

Mesmo que recebam uma indicação de algum conhecido, buscarão por informações sobre o profissional online.

O uso de fotos é permitido, mas desde que sejam do profissional ou do local onde trabalha sua equipe e sócios. Fotografias de fóruns ou similares são vetadas.

E as redes sociais, pode?

A resposta é sim! Contudo, é preciso que o perfil seja restrito ao segmento que você atua. Uma forma de fazer isso é ter um blog para gerar conteúdo e linkar isto à sua rede social. A mais utilizada é o Facebook.

Pode-se tratar sobre mudanças da lei no segmento de atuação, dar dicas e outras orientações jurídicas.

Explicar determinada área do direito, para que e para quem serve também é uma forma de gerar conteúdo atrativo para as redes sociais. Especificações a casos que você atua não é permitido, por exemplo.

Atente: é obrigatório que todo o material publicitário de um advogado ou escritório de advocacia seja informativo.

Anúncios: mídia impressa e digital

Veicular anúncios nas mídias impressa e digital é permitido pelo Código de Ética da OAB.

No caso de impressos, é necessário incluir os nomes registrados na OAB, o número de registro da sociedade de advogados. A especialização do advogado ou seu escritório também pode ser colocada.

Na internet, as regras a serem seguidas são as mesmas. A diferença é que isso precisa ser feito em revistas online ou sites que tratem única e exclusivamente de assuntos jurídicos!

Participação de eventos públicos

A participação do advogado em eventos públicos é permitida, desde que estes sejam relacionados à prática do direito. Neste âmbito estão incluídas palestras, seminários, conferências e premiações.

Estar em um evento social também é permitido, desde que você ou seu escritório estejam ali para dar orientação jurídica ao público.

Rádio, televisão e outdoor

Comerciais publicitários em estações de rádio e televisão são terminantemente proibidos. O mesmo ocorre com outdoors.

Contudo, é permitido que o advogado participe de programas jornalísticos, tanto no rádio quanto na televisão, desde que não seja uma rotina.

Neste caso, a participação é restrita ao esclarecimento de dúvidas ou uma mudança de lei, por exemplo. Assim como em todas as outras estratégias de marketing jurídico, o foco é a informação.

Independentemente do canal escolhido, o marketing jurídico não pode configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão, conforme estabelece o Código de Ética e Disciplina da OAB.

Conclusão

Em resumo, a regular ou irregularidade da publicidade na advocacia depende da forma como essa é feita. Faça tudo isso dentro de uma estratégia, com constância e com base em dados, definindo seus objetivos e a melhor forma de captar clientes.

Gostou desse conteúdo? Continue acompanhando para mais informações sobre esse e outros assuntos relacionados!

Empreendedorismo: A solução para a crise

A crise gerada pela pandemia do coronavírus alterou a dinâmica da economia brasileira, onde diversos segmentos sofreram impactos com a diminuição das atividades, devido as restrições que visam minimizar a disseminação do vírus.

Nesse cenário, muitos negócios estão fechando por não conseguirem adequar os seus produtos e serviços a nova realidade, visto a queda da circulação de renda e os novos padrões de consumo da população. As pesquisas apontam que cerca de 40% das pequenas e médias empresas pararam.

Ainda estamos sem previsão para o término da instabilidade econômica, e o crescimento no nível de desemprego tem preocupado a população brasileira. Dito isso, empreender se tornou uma luz no fim do túnel para muitas pessoas, que encontraram nessa solução outra chance de recomeçar.

Para empreender é necessário ter conhecimento básico em vendas, saber negociar com clientes, fornecedores e parceiros, além de entender indicadores de resultados, processo de vendas e fatores motivacionais para traçar as estratégias necessárias.

Então, para te ajuda a entender melhor porquê o empreendedorismo é a solução para a crise, nesse artigo abordaremos os motivos para empreender nesse período e selecionamos algumas dicas para você começar nessa atividade.

Acompanhe a leitura!

Por que empreender em um período de crise?

Afinal, quem é o empreendedor? O empreendedor é aquele que sai de sua zona de conforto e consegue se organizar e se desenvolver mesmo em meio às dificuldades. Esse senso já nos direciona o pensamento que em meio à crise, o empreendedor cria oportunidades de contorná-la apresentando novidades e melhorias em seu negócio, não somente necessárias para sua sobrevivência, mas também que tragam impacto positivo para o mercado. 

Dessa forma, ao empreender, a empresa transforma os seus produtos ou cria soluções inovadoras.  O empreendedorismo abarca também a capacidade de gerar o desenvolvimento de novos processos produtivos de forma a aumenta a lucratividade e autonomia da empresa.

Empreender no cenário da pandemia é essencial para dois aspectos principais: primeiro, é a forma de garantir o sucesso dos negócios, movimentando a economia como em outros períodos de crise, e além disso é um meio de impactar positivamente a sociedade.  Não há dúvidas de que as empresas precisam cada vez mais se reinventar e buscar alternativas para seus processos, principalmente em momentos tão delicado de crise.

A organização é um pilar essencial para manter uma empresa funcionando durante a crise. Em meio a tantas empresas fechando e diminuindo seu faturamento, é necessário focar em aspectos essenciais à sobrevivência, diminuir custos e entender como realizar melhorias no processo que farão diferença a longo prazo.

Assim, quando o empreendedor tem uma visão ampla sobre todos os pontos do seu negócio, desde os mais fortes até as fragilidades, é possível que a empresa se erga e garanta a sua manutenção mesmo em um cenário pessimista.

As modificações de mercado em meio a crise

O mercado de consumo brasileiro teve uma reviravolta devido a quarentena gerada pela pandemia do coronavírus. Essa situação afetou o funcionamento de muitos negócios, devido a necessidade de isolamento social. Os hábitos de consumo mudaram, o que inclui não somente produtos buscados pelo consumidor, mas também a forma de adquirir esses itens.

Mesmo com a crescente nos últimos anos, o e-commerce explodiu em 2020 devido os novos hábitos de consumo, e dados mostram que os itens mais procurados incluem produtos eletrônicos e de escritório, além de itens básicos, como os voltados para higienização, limpeza, mercado e medicamentos.

Portanto, tendo em vista as novas necessidades do público, as ações empreendedoras devem em atender a população pensando em inovações que adaptem sua empresa a esse novo cenário vivido pelo mercado, criando novas formas de suprir a demanda dos clientes no contexto da pandemia.

Dicas para empreender na crise

Agora que você pode perceber a importância de empreender e se reinventar como uma solução econômica para crise, veja algumas dicas para fazer isso da melhor forma:

Aproveite as oportunidades

É possível beneficiar o seu negócio com a crise. Mesmo com redução na renda do brasileiro que faz cair o seu consumo, nesse momento as pessoas e empresas estão abertas a novos produtos e serviços que promovem eficiência. Assim, se você puder entregar resultados melhores a estes consumidores, com certeza o seu negócio pode crescer.

Crie soluções que resolvam problemas

Se esforce em criar soluções que possam resolver problemas relevantes do cotidiano das pessoas. Por isso, pesquise e inove de forma simples algo que pode já existir, mas que a sua solução seja útil para a necessidade real no mercado.  

Entenda o seu mercado

Não é novidade que em meio a uma crise, os brasileiros consumam de forma mais consciente, especialmente os itens não essenciais. Por isso, é necessário entender quem são as empresas que trabalham com o mesmo produto que você e como andam os hábitos de consumo das pessoas. Todas as vezes que as crises surgem, há também oportunidades de negócio, então estudar o ambiente é uma tarefa necessária para o sucesso.  

Faça o controle das finanças da sua empresa

Defina um plano anual, com todos os custos para manter a saúde financeira do seu negócio, e foque na execução para que cada passo seja dado com a maior cautela possível. O planejamento é uma etapa essencial para evitar surpresas nas suas finanças.

Além disso, não se esqueça de montar um fluxo de caixa. Essa atividade controlada gera as informações essenciais para um crescimento responsável. E para evitar inadimplências entrar em contratos de longo prazo e com altas multas de encerramento antecipado.

Otimize o seu tempo

No início, a empresa não vai ter pessoas o suficiente para fazer tudo o que precisa ser feito. Então a dica é terceirizar e automatizar o máximo de processos que você puder arcar. A eficiência e foco são atributos essenciais para conseguir realizar as atividades operacionais da empresa.

E aí, gostou das dicas? Nós da Central do Empreendedor disponibilizamos muito mais para você! Acesse os outros artigos do nosso blog.

Conteúdos em vídeo – Lives e canais de vídeo para expor suas ideias

Hoje, qualquer usuário do Facebook, Instagram e YouTube  tem condições de transmitir um vídeo ao vivo. As lives são vídeos transmitidos ao vivo disponíveis nas redes sociais como Facebook, Instagram e YouTube. Elas são ótimas para divulgar ideias e aumentar as vendas da sua empresa, se aplicadas à sua estratégia.

Pesquisas apontam que os vídeos são um dos formatos que mais geram engajamento dentro do Instagram e Facebook. Um estudo realizado pela Cisco revelou que até 2021, 82% do tráfego na internet será gerado pelos vídeos. De todo esse tráfego, 13% serão de lives.

Você ainda não sabe como transmitir conteúdos ao vivo e como usar lives e vídeos  para expor as suas ideias ou para vender? Aprenda como fazer

Porque Lives são interessantes?

É importante variar os formatos de produção de conteúdo, mas, não é somente por isso que é interessante que você faça lives. Uma pesquisa realizada pela Socialbakers mostrou que os formatos streaming têm maior alcance orgânico, se comparado aos vídeos tradicionais.

Durante essa pesquisa, a empresa notou que as páginas atingem uma média de 2,6% de seu público com vídeos gravados. Enquanto as transmissões ao vivo permitem atingir 7,3% do público.

Com as lives, você também pode verificar quem está curtindo e comentando. Com a interação que o ao vivo gera, você pode descobrir qual o nível de interesse do seu público em determinado produto.

Dicas para obter mais engajamentos

Se você está começando o seu negócio e ainda não sabe o que pode ser interessante para o seu público, ou simplesmente queira expor as suas ideias nas redes temos uma ideia interessante, que é transmitir uma live de perguntas e respostas.

Você pode solicitar, na própria transmissão, que os espectadores comentem suas dúvidas, para que você responda ao vivo. Outra forma é verificar, antecipadamente, quais são as dúvidas recorrentes no seu mercado e respondê-las na sua live.

Essa tática faz com que mais dúvidas surjam. Assim, mais usuários passam a perguntar nos comentários. A ideia aqui é aproveitar essa interação que os vídeos ao vivo te oferecem.

Prenda a atenção até o fim

Não adianta você transmitir um bom conteúdo se não houver espectadores. Por isso, você precisa despertar o desejo no seu público em acompanhar a sua live até o fim.

Para isso, você pode organizar o conteúdo do seu vídeo de forma que a sua audiência precise ficar até o fim da transmissão. Se prometer alguma dica no fim do vídeo, certifique-se de que realmente essa dica valha a espera do seu espectador. Prometa somente o que for cumprir.

Ofereça recompensas

Não há quem não goste de recompensas, não é mesmo? Aproveite a sua live para oferecer algum benefício para quem está te acompanhando. Você pode fazer isso disponibilizando uma oferta exclusiva ou então um desconto especial. O importante é você entender que as recompensas fazem com que o seu espectador se sinta exclusivo.

Oferecer uma recompensa na sua live possibilita que a sua audiência tenha interesse em sempre te acompanhar. Isso também faz com que mais pessoas compartilhem sua live com amigos, atraindo outras pessoas para assistirem os seus streamings.

Você pode disponibilizar a sua recompensa com um botão de CTA (Call to Action). Lá você pode inserir o link para uma ação, tanto na descrição do vídeo, como nos comentários.

Tem uma empresa?

Caso sua live tenha fim comercial, aproveite suas lives para anunciar um novo produto ou serviço. Uma boa maneira é apresentando as funcionalidades ou características. Para isso, demonstre ou explique sobre o produto que está vendendo.

As transmissões são uma maneira interessante de auxiliar a sua audiência a entender melhor sobre o que a sua marca vende. Pense que você pode oferecer seu produto, mas, ao mesmo tempo, precisa fornecer muitas informações valiosas.

Como usar lives para vender

Apesar de não ser muito comum, você já pensou em ganhar dinheiro vendendo as suas lives?

Seria como se você vendesse um ingresso para uma palestra sua, por exemplo. Mas lembre-se: para conseguir vender os conteúdos de uma transmissão, seu público precisa enxergar valor no tema.

Também é possível que você monetize esse conteúdo futuramente. Para isso, você pode editar a sua live, que fica salva na plataforma em que transmitiu (Facebook, Instagram ou YouTube). Acrescente as considerações que achar necessárias e comece a vender o conteúdo em vídeo gravado. Dessa forma, você pode vender uma série de lives, onde transforma o conteúdo em um produto ou curso e passa a ter mais uma fonte de receita no seu negócio.

E os canais de vídeo?

Já há algum tempo os vídeos são as grandes estrelas da internet. Sejam os de comédia, os educativos ou ainda sobre algo mais sério, todo mundo os assiste. E os assiste com frequência e regularidade. E, se existe um público tão grande e ávido por vídeos na internet, por que não os utilizar como ferramenta de marketing de conteúdo?

O conceito de vídeo marketing é bastante simples: unir o marketing de conteúdo tradicional à imagem, no caso, ao vídeo. Já que uma imagem vale mais do que mil palavras, um vídeo vale milhões delas. Para ter uma ideia da eficiência deste tipo de comunicação no marketing digital de uma empresa, veja algumas estatísticas sobre os vídeos:

  • Todos os meses o YouTube recebe mais de 1 bilhão de usuários, que gastam mais de 4 bilhões de horas assistindo a vídeos.
  • As buscas por vídeos no Google geram 41% a mais de cliques do que as buscas por textos.
  • E-mail marketing que contém vídeo tem 96% mais chances de gerar cliques do que os que não possuem.
  • 3 em cada 5 consumidores assistem vídeos sobre produtos que desejam comprar.
  • 52% dos consumidores afirmam que os vídeos são de grande ajuda na hora de decidir por uma compra.
  • Depoimentos de clientes em vídeo podem aumentar as vendas em até 600%.

Resumidamente, os vídeos:

  • Atraem mais visitantes e leads para sua estratégia de marketing digital;
  • São mais fáceis de serem consumidos;
  • Aumentam o tráfego orgânico, principalmente através do YouTube;
  • Trabalham na educação dos leads e clientes;
  • Melhoram o posicionamento e a lembrança da marca;
  • Podem ser peças de marketing viral;
  • Aumentam as vendas;
  • Aumentam o valor percebido dos seus produtos ou serviços.

Agora que você entendeu as vantagens do vídeo marketing, veja abaixo algumas dicas de como fazer vídeos de qualidade, com eficiência e rentabilidade:

Demonstração

Usando técnicas de animação, design, narração ou mesmo um apresentador, fica muito mais fácil e rápido expor o seu produto ao público de maneira direta e simples.

Corporativo

Uma empresa que pretende ter sucesso precisa ter autoridade na sua área de atuação. E para isso é necessário saber como se posicionar corretamente diante do público e do mercado. Os vídeos, neste caso, são uma importante ferramenta para dar credibilidade à sua marca.

Storytelling

Este tipo de vídeo consiste basicamente em contar uma história. Ela pode ser sobre a sua empresa, o seu produto ou sobre qualquer coisa. O sucesso de filmes e novelas não é por acaso: o público adora histórias e elas são ótimas para vender.

Teaser

Sabe aquele trailer de filme que mostra um pedacinho do que está por vir nas telas do cinema e deixa todo mundo morrendo de vontade de assistir? Isso é um teaser. Ele consiste em despertar a curiosidade do espectador, mostrando um pouquinho de algo para prender a atenção do público e criar expectativa para o conteúdo completo.

Conclusão

Se você preparou um bom roteiro, então não há segredos. Posicione os equipamentos de forma adequada para obter as melhores imagens e áudio de qualidade, e então siga a linha narrativa que está especificada no planejamento do vídeo. Além disso, não se esqueça de fazer testes antes de começar a gravar os vídeos e veja se as imagens estão nítidas, se a iluminação tem qualidade e se os áudios podem ser ouvidos com facilidade.

Também se lembre de prestar atenção no tripé, que precisa ser posicionado de maneira correta para que as imagens não fiquem tortas.

Depois disso, a qualidade do processo de edição dos seus vídeos é determinante. Portanto, se você não tem ideia de como montar um vídeo e editá-lo de forma profissional, o ideal é que realize um curso rápido de edição ou que, pelo menos, assista a tutoriais que ensinam como editar vídeos de qualidade.

É claro que, como em qualquer outra estratégia de marketing digital, os vídeos produzidos pela sua empresa devem ser monitorados e mensurados para então chegar a alguma conclusão sobre seu impacto e resultados. Seja postando seu conteúdo em vídeo no YouTube ou nas redes sociais, esse canal irá oferecer um painel de controle que faz essa observação sobre seu material.

Gostou desse conteúdo? Continue acompanhando para mais informações sobre esse e outros assuntos relacionados!

Covid 19 – O mundo digital nunca mais será o mesmo

A pandemia causada pelo novo coronavírus afetou a maior parte da dinâmica da sociedade, desde novos hábitos de higienização, até os hábitos de consumo.

De acordo com a Organização da Nações Unidas (ONU), a pandemia do COVID-19 é o maior desafio vivido pela humanidade desde a segunda guerra mundial.

Nesse sentido, tudo tem se transformado, à medida em que velhos hábitos deixam de fazer sentido, enquanto novos modelos, recursos e comportamentos se consolidam para continuar o funcionamento pleno da sociedade.

No contexto da pandemia, as empresas que já se organizavam para se transformar em digital, e até mesmo aquelas que ainda não cogitavam, entraram na onda tecnológica, afim de se adaptar à realidade.

O investimento em tecnologia tem sido uma saída para reverter a situação de crise financeira em diversos setores da sociedade, que foram prejudicados com o advento do isolamento social.

Assim, com a revolução tecnológica em que a sociedade vive no XXI e a adaptação repentina graças às novas soluções digitais, foi possível manter relativa normalidade em muitos aspectos do cotidiano, como a continuação dos trabalhos remotos por exemplo.

Nesse artigo abordaremos alguns pontos importantes sobre o tema nos seguintes tópicos:

  • A pandemia como propulsor da digitalização
  • Mudanças nos hábitos de consumo
  • Os dados não mentem
  • Inovações tecnológicas
  • Aumento do uso das redes sociais

Acompanhe a leitura!

A pandemia como propulsor da digitalização

Hoje as empresas entendem que no momento em que vivemos, com todas as limitações que foram impostas graças ao advento da pandemia, fugir do digital é um grande erro.

É certo que o mundo antecipou nos últimos meses um processo de digitalização que talvez demorasse 5 anos para se efetivar. E para se adaptar, foram necessárias mudanças imediatas e enérgicas para a solução de problemas que até então eram inimagináveis.

Nesse contexto, a adesão das empresas ao mundo digital fez com que esse segmento crescesse de forma tão grandiosa de 2020 para cá, e sem dúvidas, aquelas que sobreviverem a esse turbilhão de adversidades e problemas, com certeza estarão mais preparadas para os desafios que aparecerão no futuro.

Mudança nos hábitos de consumo

É certo que os hábitos de consumo são moldados de acordo com as alterações sociais. Com o avanço da sociedade, as pessoas criam novas necessidades, e podemos dizer que no XXI a crescente influência da internet tem adentrado a casa das famílias brasileiras, criando hábitos de consumo novos.

Se engana quem pensa que as empresas passaram a pensar no digital somente na pandemia. Devido as questões relacionadas ao isolamento social, a compra sem contato físico explodiu nos últimos meses e cenário forçou que os empreendedores investissem ainda mais nas tecnologias para estarem preparadas para o mundo on-line.

E essa mudança de habito de consumo não se restringem a produtos como eletrônicos, vestimentas ou itens cosméticos.  A necessidade de comprar online chegou até mesmo para itens básicos (alimentos, remédios, entre outros), que são uma gama de produtos completamente diferentes dos requisitados nos anos anteriores.

No cenário pandêmico, alguns nichos cresceram de forma exponencial, devido as medidas de isolamento social e fechamento do comércio, e entre elas, podemos observar a alta adesão ao digital principalmente nos ramos de:

  • farmácias
  • equipamentos de ginástica;
  • supermercado online
  • equipamentos para home office
  • delivery de alimentos, entre outros.

Então, quando pensamos na imersão ao mundo digital, muitas são as estratégias para que o cliente compre com as marcas, desde o oferecimento de serviços com frete gratuito à inúmeras formas de promoções e ofertas para garantir as vendas.

Os dados não mentem

Para comprovar a mudança de hábitos de consumo do brasileiro, um estudo da MindMiners, realizado a pedido da agência Leo Burnett, mostra que a pandemia do coronavírus tem incentivado o brasileiro, neste momento, a consumir mais produtos de limpeza. Para manter a higiene e a segurança contra a contaminação, o aumento de compras desse tipo pela internet, ainda segundo o estudo, aumentou cerca de 14%.

A pesquisa realizada em março de 2020 pela Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) afirma que as empresas podem oferecer descontos e condições especiais para compras on-line, já que as vendas por e-commerce tiveram aumento de 30% a 40% desde o início do distanciamento social.

Em especial, o comercio eletrônico foi o mais beneficiado nesse cenário. De acordo com a Abcomm, durante o mês de março de 2020 as lojas virtuais registraram alta de mais de 180% em transações, evidenciando o aumento consistente dessa modalidade de compra.

Inovações tecnológicas

As startups são modelos de negócios muito fortes no meio empreendedor, mas você sabe qual é o diferencial dessas empresas?

Startups de sucesso funcionam se baseando, principalmente, em inovação. E a tecnologia é uma importante aliada para essas empresas, sobretudo, devido as necessidades atuais. A chave para o crescimento é o investimento no digital e na automação de processos, transformando a forma como as coisas são feitas no dia a dia.

Diversas startups foram criadas ao longo dos últimos anos porque a maneira de consumir havia mudado. Assim, desde serviço de transporte por aplicativo como os famosos Uber e 99POP, assim como plataformas de streaming como a Netflix, Amazon e Youtube tiveram um crescimento exponencial.

Então, no período em meio à crise de saúde, é necessário avaliar as novas necessidades e como a empresa pode solucionar as dores do seu público-alvo.

Assim, empresas com mindset de inovação irá sempre pensar em quais tecnologias devem ser utilizadas para se manter no mercado e como adaptar o modelo de negócio para a mudança.

Aumento do uso das redes sociais

Não poderíamos falar sobre a mudança do mundo digital sem citar as redes sociais.

Com o distanciamento social, as pessoas têm buscado manter o contato com amigos e familiares distantes. Ainda, para diminuir a distância física, as redes sociais são ferramentas de aproximação para consumidores e marcas.

Quando o usuário utiliza as redes sociais, como o Facebook, Twitter e Instagram, estes estão susceptíveis aos anúncios direcionados, baseados em pesquisas anteriores. Dessa forma, as redes sociais são utilizadas como vitrine para diversas marcas que se dispuseram a fazer parte do mundo digital para vender mais.

As redes sociais são funcionam somente para a captação de clientes. Notamos nos últimos anos utilização dessas plataformas para o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) tem crescido, e com a situação de pandemia e isolamento social, as pessoas têm buscado cada vez mais esse tipo de recurso para solucionar seus problemas.

E aí, gostou do conteúdo? Nós da Central do Empreendedor disponibilizamos muito mais para você! Acesse os outros artigos do nosso blog.

Brand Essence – Defina a comunicação da sua empresa

As empresas de hoje devem se diferenciar se quiserem se manter competitivas no mercado atual. No entanto, não é mais suficiente ter os melhores preços, ou mesmo os produtos mais eficazes para ajudá-lo a se destacar. Os líderes de mercado de hoje precisam criar o sentimento certo em seu público através de campanhas emocionais e focadas na personalização, com a comunicação assertiva.

Embora existam muitas características diferentes por trás de qualquer organização, uma “Brand Essence” refere-se à identidade central da sua empresa. Este conceito é o que separa você de outros concorrentes através fatores focados em afinidade que tornam sua empresa mais relacionável.

Alguns negócios são altamente profissionais, tecnicamente experientes e de pensamento avançado. Outros se concentram em oferecer uma experiência calorosa e acolhedora aos clientes, com valores como serviço excepcional.

Uma vez que você define a Brand Essence da sua organização, você pode usá-la como “marco zero” para o resto de sua estratégia de construção de reputação. Com o coração da sua empresa em mente, é muito mais fácil projetar logotipos, campanhas de marketing e mesmo slogans que falam com seu público.

Então, o que é Brand Essence, e como você encontra a sua?

Como mencionado acima, Brand Essence é o centro da estratégia de crescimento da sua empresa. Sua essência reúne conceitos como valores, declarações de missão e visões de marca para determinar o que você representa como uma empresa e guiá-lo para o futuro.

Pense na essência da marca como a alma ou DNA da sua empresa. Se você sabe exatamente do que se trata o seu negócio, você terá mais facilidade em transmitir seu significado para seus clientes também.

Normalmente, as empresas descrevem sua “essência” dentro de algumas palavras. Essas palavras destacam a razão de ser da empresa e avisam aos clientes se estão se conectando com as pessoas certas. A fórmula para uma definição de essência de marca seria algo assim:

Essência de Marca = Metas (o que você quer fazer) + O que você faz +Seus valores (como você faz o que faz)

Se uma marca é uma coleção de todos os pensamentos e sentimentos associados a uma empresa, uma essência de marca está no centro de tudo. Sua essência dá profundidade, indo além dos recursos de preço e produto, educa seu público e também ajuda você a desenvolver uma reputação em seu campo escolhido. Com o tempo, você verá que uma definição eficaz de essência de marca até ajuda a atrair o público certo, criando defensores e embaixadores.

Por que definir a essência da marca?

Agora que você sabe o que é, é hora de considerar porque encontrar um significado de essência de marca é tão importante. Afinal, há um monte de passos envolvidos em construir uma marca eficaz.

Uma definição de essência de marca simplesmente permite que você coloque a alma da sua empresa em palavras. Uma essência de marca torna mais fácil para você e seus clientes ou acionistas ver o que é o seu negócio, o que você quer que ele seja e o que você está fazendo para permanecer o mais “autêntico” possível.

Ao usar sua Brand Essence como o norte da sua empresa, a empresa garante conexões mais fortes com seu público. Alguns dos benefícios de uma definição de uma Brand Essence incluem:

Melhor marketing

Quando você entende precisamente o que está impulsionando sua empresa e separando-o de seus concorrentes, você pode desenvolver campanhas mais fortes de publicidade e conscientização. Hoje, é mais importante do que nunca para as organizações se conectarem com seus públicos em um nível emocional.

A Brand Essence permite que você se engaje em seus esforços de marketing, e também irá guiá-lo para as campanhas que são mais propensas a ajudar sua organização. Por exemplo, uma marca com uma essência “moderna” pode usar a mais recente tecnologia como VR ou IoT para anunciar um novo produto.

Apelar para expectativas mais altas

Mesmo que você não esteja no negócio há muito tempo, há uma boa chance de você já ter notado o quão altamente conectados os clientes de hoje estão. Estamos vivendo em um mundo de clientes conectados continuamente e capacitados, o que também significa que você precisa atender às expectativas crescentes.

Hoje, os clientes estão mais exigentes e exigentes do que nunca. Isso significa que truques e batalhas de preços não darão mais à sua empresa o poder de crescimento que ela precisa. Em vez disso, as empresas precisam encontrar uma maneira mais atraente de construir laços com seu público. A Brand Essence é o que inspira os clientes a se apaixonarem por ela. As pessoas começarão a atribuir características humanas à sua empresa, e é daí que vêm os sentimentos de comprometimento e lealdade.

Mantenha a consistência

Finalmente, há uma gama de diferentes “manifestos de uma marca” que entram cena. Guiar toda a comunicação da sua empresa para de acordo com a sua Brand Essence e o seu manifesto vão fazer a sua empresa alcançar consistência.

No mundo competitivo de hoje, pode ser difícil manter-se ciente das tendências atuais e manter uma identidade consistente ao mesmo tempo. Quando você entende os elementos que definem a alma da sua empresa, é muito mais fácil tomar decisões coesas para o seu negócio. Sempre que você não tem certeza sobre uma nova estratégia de marketing ou ideia de produto, você pode olhar para a sua Brand Essence para direcioná-lo.

Dicas para refinar o significado da essência da sua marca

Embora a Brand Essence seja fundamental, nem sempre é fácil de definir. Os melhores exemplos de essência da marca muitas vezes atingem um equilíbrio entre as qualidades autênticas que sua empresa já demonstra e os elementos aspiracionais que você deseja incorporar no futuro.

Normalmente, a melhor maneira de descobrir o significado da sua Brand Essence, é começar a desenvolver as diretrizes para sua empresa e procurar informações de pessoas de fora e dentro de sua organização. Os membros da equipe e as partes interessadas poderão mostrar o que seu negócio significa atualmente para o mundo, enquanto especialistas em branding podem ajudá-lo a construir uma estratégia para o seu futuro.

Volte para o início

Existem muitas empresas que criam seu manifesto de marca antes de lançar seus negócios, como parte de uma estratégia completa de construção de marca. No entanto, há também empresas que ficam tão envolvidas com outras coisas, como criação de logotipo e construção de sites que esquecem da Brand Essence até o último minuto.

Olhe para trás de onde sua empresa veio. O que o motivou a lançar seu produto ou serviço em primeiro lugar (além do lucro), e o que você sentiu que foi o seu propósito final como uma marca?

Considere como outras pessoas te veem

Como você descreveria seu negócio, e como as outras pessoas percebem nem sempre são coisas que andam de mãos dadas. Embora você não deva necessariamente permitir que seus clientes e concorrentes o definam, é útil ouvir como os outros veem sua marca, para que você possa ter uma ideia melhor de como você se depara no mercado atual. Se nada mais, uma breve auditoria lhe dará a chance de identificar quaisquer características que você preferir não ter vinculado à sua empresa.

Trabalhe para fora a partir de seus pontos de diferenciação

Encontrar a definição da sua Brand Essence é crucial porque ajuda você a definir e refinar o que faz sua empresa especial. Com isso em mente, faz sentido olhar para as coisas que você faz ou oferece que seus concorrentes simplesmente não têm. Olhe para seus concorrentes e descubra o que sua empresa pode fornecer que eles não podem.

Uma avaliação técnica de sua marca pode ajudá-lo a ver partes de sua identidade que você nunca considerou antes. Quando você mergulha em todos os passos complicados que vão para a construção de um negócio eficaz, é mais fácil ver onde sua empresa está marcando todas as caixas certas. Você também poderá ver se há atributos na sua Brand Essence que precisam melhorar ou crescer para ajudá-lo a alcançar seus objetivos.

Gostou desse conteúdo? Continue acompanhando para mais informações sobre esse e outros assuntos relacionados!

Começando um negócio do zero: Quais os primeiros passos para a independência?

Ter um negócio próprio é o sonho de inúmeros brasileiros que buscam a sua independência financeira e profissional. Contudo, todo processo para criação de um negócio pode ser burocrático, e uma grande parcela das pessoas infelizmente acabam optando pela informalidade ou desistindo.

De acordo com o SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às micro e pequenas empresas) no Brasil existem 6,4 milhões de estabelecimentos. Desse total, 99% são micro e pequenas empresas (MPE). Estas oferecem produtos e serviços nos mais diversos ramos, atendendo a demanda de necessidades da população.

Empreender não é uma tarefa fácil, porém muitas pessoas encaram esse desafio, visto a possibilidade de sucesso. Muitas vezes falta incentivo e orientação, por isso, tirar uma ideia do papel pode levar meses, até anos!

Então para te ajudar nessa tarefa que pode mudar a sua vida, nesse artigo abordaremos os primeiros passos para começar um negócio do zero e finalmente conseguir a sua independência financeira.

Acompanhe a leitura.

Como começar?

Elaboramos um guia com os 8 primeiros passos para você começar o seu negócio do zero:

  1. Verifique se o seu negócio é viável

A primeira coisa que você deve pensar é: A minha ideia de negócio é viável? Sem se perguntar isso, talvez você gaste tempo planejando algo que não vá para frente.

Vamos citar um exemplo bem básico, mas de fácil compreensão:  vender doces dentro de uma academia, onde a maioria das pessoas buscam fugir desse tipo de alimentação. Essa ideia pode não ser viável, visto que não é o produto que aquele público vai consumir com tanta frequência.

Por isso, é de suma importância que você conheça o seu público alvo e a localização que você deseja montar o seu negócio. Isso porque é necessário haver mercado para o seu produto ou serviço, do contrário, não haverá sucesso.

  • Registre a sua empresa

Agora que você pensou sobre a viabilidade da empresa e descobriu que ela pode ter sucesso no ramo escolhido, então é a hora de fazer a formalização do seu negócio.

Esse é um dos primeiros passos para o início das suas atividades empresariais, mas você precisa ficar atento para realizar corretamente todas as inscrições, licenças e alvarás necessários. Mesmo após ter em mãos o CNPJ, o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas, e estar inscrito na Previdência Social, há uma série de licenças, registros e alvarás municipais e estaduais que você irá precisar para funcionar legalmente.

Cada ramo tem as suas especificidades de documentação para funcionar de forma correta, então diferentes segmentos precisam de autorizações distintas. A legislação do município e do estado onde sua empresa será instalada também pode exigir inscrições específicas. Por isso, é importante consultar um contador que conheça a legislação local.

  • Cuide das Burocracias

O Brasil é um país extremamente burocrático e o processo para começar um negócio do zero não poderia ser diferente.

Abrir uma empresa no Brasil leva, em média, 53 dias. Sabendo disso, o empreendedor precisa aprender a driblar esse problema. Desse modo, saber quais são os tributos a serem pagos, prazos para liberação de alvarás e quais as certidões necessárias para seu negócio funcionar são pré-requisitos indispensáveis.

  • Faça o planejamento financeiro

Ter uma ideia viável e realizar a parte burocrática não é, nem de longe, as únicas etapas que podem fazer com o que o seu negócio tenha sucesso.

Para que o seu empreendimento dê certo, é necessário planejamento. Por isso, no processo de abertura de empresa, é preciso montar modelo de negócios e fazer oplanejamento financeiro.

Estude o mercado, concorrência e calcule os custos e gastos com os funcionários. Esses itens devem ser levados em consideração antes mesmo da empresa abrir.

Esse é um passo importantíssimo, principalmente para quem pretende abrir uma empresa com pouco dinheiro. Sem um planejamento financeiro, seu negócio pode correr sérios riscos de ir à falência.

  • Faça o fluxo de caixa

Ainda no tema saúde financeira, o fluxo de caixa de uma empresa é um excelente aliado para o controle. Isso porque é através dele que você consegue saber quanto de dinheiro entra e sai do total de transações.

Ao conhecer bem o fluxo de caixa o empreendedor consegue administrar as suas contas a pagar e a receber, cobrando clientes que estejam devendo e pedindo mais prazo ou condições favoráveis para fornecedores.

  • Cuide do estoque

O estoque é uma parte bastante delicada do seu negócio. Esse setor depende da demanda do seu mercado, por isso é preciso ter uma margem de segurança, caso surja um crescimento inesperado.

Além disso, o estoque depende do fornecedor. Dessa forma, se você deseja empreender, saiba como negociar com os fornecedores, para que estes consigam entregar os produtos na quantidade necessária para a sua demanda, dentro do prazo.

  • Estabeleça metas e objetivos

Estabelecer metas e objetivos é uma ótima forma de motivação tanto para o empreendedor quanto para os funcionários. Ao trabalhar de forma colaborativa em prol do crescimento da empresa, o negócio pode ter retornos melhores.

As metas podem ser de cunho financeiro, como o estabelecimento de objetivo em cima da lucratividade por mês, ou relacionadas a qualidade do produto ou do atendimento para manter e melhorar cada vez mais a produtividade.  Crie sempre metas alcançáveis, principalmente no início, e vá aumentando conforme a empresa vai crescendo.

  • Utilize a tecnologia a seu favor

Para administrar o seu negócio, o uso de papel e planilhas de Excel não é prático e é susceptível a erros.  Dessa forma, o uso de software próprio para a gestão que permita o acesso em qualquer lugar pode ser a melhor opção.

Nesse modelo as informações são armazenadas na nuvem e constantemente atualizadas de forma integrada.

E para a captação de clientes, é imprescindível ter presença da sua empresa de forma online, seja com um site ou página no Facebook e Instagram, onde você sempre poderá divulgar seus serviços e/ou produtos.

E aí, gostou do conteúdo? Nós da Central do Empreendedor disponibilizamos muito mais para você! Acesse os outros artigos do nosso blog.

CRM de marketing para médicos: como manter a agenda cheia

No cenário atual, é evidente a necessidade de reinventar as práticas profissionais e entender o que o mercado está demandando das empresas.

Com as inovações e ferramentas tecnológicas e a crescente migração de empresas para o mundo digital, repensar estratégias para atrair clientes e obter resultados satisfatórios no seu negócio, é indispensável.

As estratégias de marketing, mais precisamente, de marketing digital, têm ganhado relevância no contexto de clínicas médicas e um nicho específico voltado para o marketing para médicos está emergindo.

Existem diversas estratégias que podem ser utilizadas para atrair pacientes e manter a agenda da clínica cheia durante todo o ano, uma delas é o Customer Relationship Management (CRM), uma ferramenta que tem auxiliado bastante os profissionais desse contexto.

Neste artigo, entenda o que é o CRM, para o que serve a ferramenta, quais são os benefícios de utilizá-la e como utilizá-la nas estratégias de marketing para médicos da sua clínica!

Acompanhe a leitura e fique por dentro!

  • O que é o CRM?
  • Para que serve o CRM?
  • Quais são as vantagens do CRM para as empresas?
  • Como o CRM auxilia as estratégias de marketing para médicos?

O que é o CRM?

CRM é uma sigla em inglês que significa Customer Relationship Management, ou Gerenciamento de Relacionamento com o Cliente, em tradução para o português.

Essa ferramenta é um software de gerenciamento de vendas, que auxilia os processos de gestão de relacionamento com os clientes.

Porém, esse software é muito mais do que uma ferramenta de gestão, pois coloca o cliente como foco dos processos da empresa e otimiza outras operações do negócio para garantir uma melhor experiência ao cliente.

Além disso, o software oferece diversos benefícios para as organizações, assim como, auxiliam as estratégias de marketing em diversos nichos do mercado, como é o caso do marketing para médicos.

Para que serve o CRM?

Embora a maioria dos sistemas de CRM sejam voltados para os setores de vendas, o objetivo e o foco da ferramenta é o de melhorar a experiência do cliente e garantir uma maior satisfação do usuário com o serviço ou produto da empresa.

Assim, esse sistema acaba abrangendo outros setores que também lidam com o relacionamento com o cliente e devem ser aprimorados para gerar resultados mais satisfatórios para a empresa.

O CRM é um excelente aliado das operações da empresa, pois otimiza os processos, facilita a integração com outras ferramentas utilizadas no negócio e garante uma gestão de relacionamento com o cliente em todos os níveis do funil de vendas, desde a primeira interação com a captação de leads, até após a conversão e a venda em si.

O CRM é uma ferramenta funcional e ágil e oferece diversas vantagens para as empresas, então, continue acompanhando a leitura e conheça algumas delas!

Quais são as vantagens do CRM para as empresas?

Como é um sistema que envolve setores para além do segmento de vendas, como marketing, suporte, pós-venda, entre outros, essa ferramenta pode oferecer muitas vantagens para as organizações. Entre elas:

Escalabilidade

Cadastrar informações e fazer um bom acompanhamento de clientes, estabelecendo um relacionamento que atenda totalmente às necessidades do usuário sem esquecer nenhum dado, pode se tornar uma tarefa difícil à medida em que a empresa cresce, por isso, o CRM é uma ferramenta tão interessante para se obter uma visão ampla do negócio, pois com históricos de compra, centralização de informações como preferências e necessidades, é possível atender muito mais clientes e obter escalabilidade no seu negócio.

Agilidade e otimização dos processos

Os sistemas de CRM são ferramentas muito ágeis e funcionais, e uma grande vantagem que oferecem é a eliminação da necessidade de realizar processos exaustivos, retrabalhos e atualizar tudo de forma manual.

Com a ferramenta, é possível otimizar esses processos necessários para o bom relacionamento com o cliente e para o bom funcionamento do negócio e investir tempo em outras tarefas.

Melhoria do planejamento estratégico

Com a coleta de dados e a centralização de informações, é possível pensar em estratégias e ações que sejam mais assertivas e atendam às demandas dos clientes.

O sistema CRM é o responsável por essa centralização de informações, disponíveis para os times de marketing e vendas, e todos os outros que lidam com o relacionamento com o cliente, e portanto, é um grande aliado na melhoria do planejamento estratégico das empresas.

Integração com outras ferramentas

O CRM é um sistema que além de cadastrar, gerar históricos e centralizar informações dos prospects, leads e clientes, também possibilita a integração com outras ferramentas utilizadas pela empresa em seu planejamento estratégico.

Um exemplo disso é a integração do CRM à softwares de automação de marketing, que são responsáveis pelas estratégias de atração de novos leads.

Os softwares de automação de marketing oferecem diversas funcionalidades, como por exemplo, análise de SEO nas páginas do site, campanhas de e-mail marketing, lançamento de posts nas redes sociais, entre outros. 

Como o CRM auxilia as estratégias de marketing para médicos?

Como já falamos anteriormente, os setores de marketing, de vendas, de suporte e todos os outros que envolvem o relacionamento com o cliente, devem ser integrados e precisam trabalhar em sinergia, independentemente do nicho em que atuam.

É aí que entram os sistemas de CRM, para auxiliar as estratégias de marketing para médicos.

Com um software de CRM alinhado às estratégias de marketing, é possível fidelizar os pacientes com mais facilidade, aumentar os ganhos da sua clínica analisando as métricas obtidas pelo sistema, obter informações mais rápidas e detalhadas sobre os pacientes, gerar mais engajamento dos pacientes com a sua clínica, obter mais relevância e fortalecer a presença da sua marca nos meios digitais e dedicar tempo para outras tarefas mais importantes.

O CRM poderá auxiliar a equipe da sua clínica desde a prospecção de novos pacientes (leads), até o pós-consulta, entendendo e atendendo as reais necessidades de cada cliente que chega à clínica e promovendo um melhor relacionamento com eles.

Desse modo, se você quer manter a agenda da sua clínica cheia durante todo o ano, investir em um sistema de CRM para auxiliar nas estratégias de marketing do seu consultório pode ser um diferencial muito significativo para gerar vantagem competitiva para sua clínica.

Gostou desse conteúdo? Continue acompanhando nosso blog e fique por dentro de outros temas como este!

LGPD: conheça a lei e alguns canais de estudo e consulta

A experiência do usuário e a forma como os clientes utilizam os produtos e serviços de empresas, cada vez mais passa por mudanças e se torna uma pauta relevante, diante de um contexto de transformação digital e da migração de diversas organizações para o mundo virtual.

Assim como as experiências vão se modificando, o armazenamento de dados e informações também se tornam significativos nesse processo, e garantir a segurança e o acesso do usuário à eles é indispensável.

Com a crescente demanda envolvendo dados sensíveis de usuários e negócios, a necessidade de estabelecer uma lei que regulamenta as formas de utilização desses dados se fez necessária. Essa é uma das razões pelas quais a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi criada.

Nessa perspectiva, neste artigo, abordamos aspectos relacionados com a LGPD, como o que é, qual é a sua importância, por que existe uma necessidade de adequação por parte das empresas e alguns canais de estudo e consulta da LGPD.

Então, continue acompanhando a leitura e confira os tópicos!

  • O que é a LGPD?
  • Qual é a importância da LGPD?
  • Por que é necessário estar em conformidade com a LGPD?
  • Canais de estudo e consulta da LGPD

O que é a LGPD?

Baseada na Regulamentação Geral de Proteção de Dados (GDPR, na sigla em inglês), uma norma criada pela União Europeia, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi aprovada pelo Senado Federal em 10 de julho de 2018, passando a vigorar 18 meses após a sua aprovação, garantindo um tempo hábil para as empresas entrarem em conformidade com a nova lei brasileira específica para a proteção de dados pessoais.

Com a aprovação da LGPD, o Brasil passou a fazer parte do grupo dos 120 países no mundo que possuem uma lei específica para estes fins.

A LGPD foi criada para estabelecer um cuidado maior e um manejo melhor dos dados de usuários das empresas, isto é, desde o momento da coleta e do armazenamento, até o tratamento e o compartilhamento desses dados.

Com essa regulamentação, as penalidades para o não cumprimento se tornaram mais rigorosas e o aumento da proteção de dados tornou-se uma prioridade para as organizações que precisam estar em conformidade com a lei.

Qual é a importância da LGPD?

Diante de um cenário onde cada vez mais ocorrem vazamentos de informações pessoais de usuários, cibercrimes envolvendo a tentativa de roubo dessas informações e um aumento significativo de empresas ocupando espaços na internet, é natural estabelecer uma norma que vai olhar com mais cautela para essa questão da segurança dos dados pessoais de usuários.

Desse modo, a LGPD é uma lei de extrema importância para o contexto atual da Era da Informação, pois, leva as empresas a refletirem sobre a utilização dos dados de seus clientes, coletando somente informações essenciais para que a empresa possa operar e promovendo mais transparência em relação ao uso de dados.

Além disso, garantem ao usuário um maior domínio sobre as informações que compartilham com as empresas, produtos e serviços que consomem.

Por que é necessário estar em conformidade com a LGPD?

A nova regulamentação exige que as empresas assumam uma série de condutas em relação à coleta, armazenamento, tratamento e compartilhamento de dados pessoais. Essas condutas estão pautadas em dez princípios que fazem com que seja necessária a adequação das empresas à LGPD, para evitar punições e irregularidades com o tratamento de dados pessoais dos usuários.

As práticas devem seguir os dez princípios estabelecidos pela lei, que vão regulamentar as atividades relacionadas com a utilização de dados pessoais dos usuários das empresas. Os princípios da LGPD estabelecem que:

  1. Para a realização do tratamento de dados, deve-se ter uma finalidade clara, específica e que deve ser informada ao titular dos dados;
  2. além disso, deve haver também uma adequação ao que se foi declarado como finalidade e o tratamento em si;
  3. já o princípio da necessidade, estabelece que o tratamento do dados sejam limitados ao mínimo necessário para a realização de suas finalidades;
  4. o livre acesso, a qualidade dos dados e a transparência, são outros princípios que garantem aos titulares dos dados pessoais a consulta aos seus dados de forma simples e gratuita, com informações claras, precisas e atualizadas sobre o tratamento dos dados e os agentes de tratamento;
  5. já o princípio da segurança, utiliza-se de “medidas técnicas e administrativas aptas a proteger os dados pessoais de acessos não autorizados e de situações acidentais ou ilícitas de destruição, perda, alteração, comunicação ou difusão”;
  6. ainda, existe também o princípio da prevenção, que adota medidas para prevenir danos que possam vir a acontecer com o tratamento de dados pessoais;
  7. o princípio da não discriminação, também essencial, torna inviável o tratamento de dados para fins discriminatórios ilícitos ou abusivos, e por fim;
  8. a responsabilização e prestação de contas, que vai garantir que os agentes de tratamento de dados adotaram medidas eficazes para combater qualquer irregularidade que exista, podendo assim comprovar o cumprimento das normas de proteção de dados pessoais.

Canais de estudo e consulta da LGPD

Hoje é possível encontrar diversos canais de estudo e consultas relacionadas a LGPD, destacamos alguns deles abaixo para que você possa esclarecer todas as suas dúvidas sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Confira!

Agora que você já sabe o que é a LGPD, sua importância e seus princípios, e alguns canais de estudo e consulta relacionados a LGPD, continue acompanhando nosso blog e confira mais conteúdos como este!

Investimentos e contas digitais: invista pouco e de forma gradual, planeje seu futuro!

Se a maior tendência do momento é se renovar, os bancos não ficaram para trás. As contas digitais chegaram com tudo e eliminaram boa parte dos fatores que causam terror nos clientes como filas, burocracia, e as intermináveis horas gastas em agências bancárias.

Essa modalidade de conta não para de crescer nem de ganhar adeptos, principalmente aqui no Brasil. Além de eliminar os fatores mais estressores, a experiência é amparada pela eficiência, segurança e tecnologia de um sistema que podia ser bem complicado, como é o caso do mercado bancário.

Agora, você pode fazer parte das suas finanças pessoais de forma muito mais ativa, gradual e planejada. Esse movimento incentiva investimentos e mais responsabilidade financeira por parte dos clientes. Devido a relevância desse assunto, neste artigo você conhece mais sobre contas digitais e aprende como esse segmento pode facilitar o planejamento do seu futuro. Confira os tópicos e aproveite a leitura!

  • O que são contas digitais?
  • O que considerar antes de abrir uma conta digital?
  • Por que aderir às contas digitais?
  • Investimento gradual para o planejamento do seu futuro

O que são contas digitais?

A conta digital é uma conta bancária que apresenta menos burocracias e a possibilidade de ser movimentada, aberta e fechada de forma completamente online. Agora, ao invés de se deslocar até as agências bancárias para assinar documentos ou validar operações no caixa eletrônico, você lida com as transações de um jeito muito mais simples através do aplicativo ou site do banco, tudo na palma da sua mão.

Tirando esse incrível bônus, as contas digitais funcionam basicamente da mesma forma que as contas tradicionais já conhecidas, isso significa que você ainda poderá dispor dos mesmos serviços como pagamento de boletos, transferências, guardar e movimentar dinheiro, depósitos, extratos financeiros e saques.

Assim como tudo que envolve a ferramenta, o processo de abertura da conta digital costuma ser bem simples e possui instruções curtas e claras. Geralmente requer apenas o download do aplicativo do banco, o envio da cópia de documentos, uma selfie com algum documento com foto, o cadastro de suas informações pessoais e sua assinatura feita digitalmente.

As contas digitais são gratuitas, seguras e simplificadas.

Pronto para abrir a sua? Então veja agora o que deve ser levado em consideração na hora de ter a sua conta!

O que considerar antes de abrir uma conta digital?

Apesar do grande número de clientes que aderiram às contas digitais, o segmento ainda é considerado novo. Por isso, ainda que desperte bastante o interesse de novos admiradores, muitos abrem a conta com base na experiência de terceiros e não por considerar as ofertas do banco. Reunimos aqui alguns pontos relevantes para esse momento. Os principais são:

  • Veja se quais são as funcionalidades oferecidas, e isso inclui a interface e nível de dificuldade de operar o aplicativo;
  • Procure saber sobre as formas de pagamento das suas contas como IPVA, IPTU e outros serviços;
  • Há alguns bancos que oferecem serviços adicionais como cashback ao criar uma conta digital. É sempre bom saber se esse é o caso do banco que você tem interesse;
  • Bom atendimento é o mínimo para adquirir qualquer serviço, por isso, certifique-se que você abrirá uma conta em um ambiente que supre as suas necessidades e que é comprometido em resolver da melhor forma o problema dos clientes.
  • Busque informações sobre formas de investimento. Pensar no futuro é importante e o seu banco deve estar do seu lado nesse plano. Pesquise sobre rendimento, valores mínimos para investimento e prazos. Assim, se preferir, você pode investir mais tranquilamente, aos poucos, e crescer gradualmente junto com os dígitos da conta.

Por que aderir às contas digitais?

Toda a configuração das contas digitais é responsável por oferecer diversas vantagens para os clientes. É uma tecnologia para todas as idades e a prova disso é que a maioria dos aplicativos se compromete em apresentar interface e instruções bem simples. Mas esse não é o único motivo para explicar porque as contas digitais precisam ser utilizadas.

O uso pode ser incentivado simplesmente porque existe uma opção que nos permite não realizar as longas visitas até as agências bancárias. Mesmo antes das contas digitais, a ida até os postos físicos reduziram por conta da Internet Bank. Ou seja, a substituição já acontece há um tempo e ela é necessária.

Um dos motivos mais fascinantes para a adesão é a redução de taxas. Existe uma inevitável economia por parte dos bancos já que não há atendimento físico, grandes custos operacionais e, em casos de bancos digitais, também não há unidades físicas. Tudo isso se traduz na dispensa de taxas que clientes já não precisam pagar.

E por último, as contas digitais são praticamente bancos 24h à sua disposição e pertinho de você. É acesso aos serviços todos os dias e todas as horas.

Investimento gradual para o planejamento do seu futuro

Nem sempre investir fez parte da realidade brasileira, mas o sonho de ter dinheiro e fazer ele render é um grande conhecido da nossa nação. Especialmente para aqueles que estão sempre fazendo planos, seja de viagem, de estudos, de mudanças, de aquisições, de aposentadoria ou apenas de continuar investindo.

Por mais distintos que sejam os desejos, todo investimento requer pesquisa e estudo. Afinal, você sabe como investir?

As contas digitais têm ajudado brasileiros a mudar a mentalidade quanto ao uso e à administração do seu dinheiro. Uma vez mais responsáveis pelas transações, esse tipo de comportamento só fez aumentar a procura por investimentos.

São várias as formas de investir, mas a que pode te render mais frutos é aquela pensada e realizada com calma. Investidores de alto padrão já afirmaram que o investimento gradual costuma render excelentes frutos e é ideal para quem tem planos a longo prazo. Em outras palavras, novos investidores precisam saber onde pisar, pisar com cuidado e evitar os investimentos mais agressivos.

E então? Gostou de saber sobre contas digitais? Se sim, acompanhe nossa página para aproveitar ainda mais informações atualizadas!